O segredo não é a alma do negócio!

Na era digital, o segredo não é mais (foi um dia??) a alma do negócio! Então, mostre seu trabalho! Seus valores, seus produtos e serviços. Entenda como e porque:

Há exatamente uma semana eu voltei de férias e não é segredo para ninguém, eu estou “patinando” para voltar ao rítmo de trabalho.Contudo, acho que consegui responder as centenas de e-mails, comentários e questões dos meus alunos e leitores. Duas questões diferentes (e ao mesmo tempo complementares) me instigaram a escrever este artigo:

tenho uma autoescola e quero criar um curso online para ajudar as pessoas com dificuldade de passar no teste de direção. A senhora (confesso que tenho sentimentos ambivalentes quando sou chamada de senhora, mas esta não é a questão aqui, certo?) acha uma boa ideia?

tenho X anos de experiência, ofereço formações presenciais que funcionam bem mas meu curso online não tem sucesso. Quais suas dicas para “alavancar” as vendas?

Esse tipo de pergunta também me gera sentimentos ambivalentes pois, se por um lado eu me sinto lisonjeada pela confiança depositada no meu trabalho, por outro me sinto responsável pela resposta.

Mesmo assim, minhas respostas são sempre muito parecidas pois é o método que eu mesma uso e no qual eu acredito: mostre seu trabalho! (virou título de livro, eu sei! Ainda não li, mas estou bem interessada nele!).

O segredo não é mais (foi um dia??) a alma do negócio! Então, mostre seu trabalho!

Em tempos de superexposição nas redes sociais, não falar do seu trabalho, do seu negócio e das suas ideias é a maior burrada que se pode fazer!

Ora, você posta (e curte) fotos na praia, no cinema, no barzinho e não posta foto trabalhando, do seu local de trabalho, dos eventos dos quais está participando, os certificados dos cursos que anda fazendo? Se você quer ser visto como um profissional, então eu lamento dizer que você está perdendo seu tempo nas redes sociais!

Seus perfis nas redes sociais (em geral e não somente no LinkedIn) mostram (ou deveriam mostrar) quem você é! Por consequência, seus seguidores e contatos, deveriam ser pessoas que tem os mesmos interesses que você, seus amigos de infância, seus contados profissionais e também sua família, é claro.

Antes do fenômeno da internet e das redes sociais, falávamos da propaganda “boca-à-boca”. Ou seja, alguém sabe que você abriu um negócio ou que presta um serviço e indica você para sua rede de contatos (veja que, a criação de redes de contato não é novidade!). Se antes esta indicação era feita individualmente, por meio de telefonemas e conversas na esquina da rua, hoje ela é feita em grande escala nas redes sociais!

Mas, se você não falar do seu trabalho nas redes sociais, como alguém vai poder indicar você? Marcando um amigo na sua foto na praia? Não, certamente que não!

Falar sobre seu trabalho nas redes sociais vai ajudar a ser visto, em primeiro lugar, como uma pessoa completa: que se diverte sim, mas que trabalha, que estuda, que se esforça para continuar se desenvolvendo pessoal e profissionalmente.

E também (e este é talvez o ponto principal deste artigo) a testar uma ideia! Sim, pois sua rede de contatos é, em princípio, o seu verdadeiro público! E é o seu público (e não eu) quem vai poder lhe dizer (com todos os likes, compartilhamentos e comentários) se sua ideia é boa ou não!

Quer saber se seu curso online vai gerar atrair alunos ou não? Pergunte para sua rede!

Minha primeira resposta para a pergunta “um curso online para quem quer aprender a dirigir é uma boa ideia?” foi exatamente essa e minha intenção era justamente a de ver a aceitação da ideia:

Eu te indicaria começar criando vídeos curtos e compartilhar livremente nas redes sociais: no teu Facebook, no Instragram e até talvez criar um canal no YouTube.

Pensa em sempre te apresentar e falar que és instrutor de autoescola e, se a autoescola for tua, então, não deixa de dizer o nome!

Começa compartilhando gratuitamente para ver o interesse das pessoas… isso não vai te trazer uma renda imediata, mas:

– vai divulgar teu trabalho, ou seja, muitas outras pessoas vão ficar te conhecendo e vão associar o “aprender a dirigir”, o “passar na prova” contigo e isso, vai te trazer mais alunos e indicações;

– vai te levar para perto do teu público, ou seja, não somente outras pessoas vão te conhecer, mas vais também continuar teu contato com teus alunos atuais e os ex-alunos (lembra de falar para eles te seguirem nas redes)

– vai validar tua idéia de negócio/e ou curso online: com os vídeos gratuitos tu vais poder sentir o que as pessoas querem e até precisam como conteúdo, como informação, pois verás as reações deles.

Tens um perfil nas redes? Uma fanpage? Um blog e/ou canal no Youtube?

Me manda se quiseres e eu dou uma olhada para ti, ok?

 

Para minha grande surpresa, a resposta (selecionei somente algumas partes do e-mail para não comprometer o remente) foi:

Professora Leila muito obrigado pela dica, só que fico com medo de outra pessoa fazer primeiro que eu, e aí o meu curso não ficar atrativo e as pessoas não comprarem, a auto escola é minha e da minha irmã ela achou a ideia também muito boa, só como eu não tinha experiência resolvi procurar uma pessoa no assunto, e aí encontrei a Sra graças a Deus. (…)

Por incrível que pareça eu não mexo muito nas minhas redes sociais é um absurdo  mas é verdade.

E outra curiosidade não tem vídeo no YouTube de aulas de auto escola em (nome da cidade). Principalmente de baliza bicho papão de muitos alunos.

 

No lugar dele, não tendo achado vídeos no YouTube sobre o “bicho papão” dos alunos de nenhuma autoescola da região dele, eu teria pensado: bingoooo!!

Mas, ele tem medo de que sua ideia seja “roubada”. Ou seja, ele ainda acredita que o segredo é a alma do negócio e enquanto acha que será o primeiro a criar um curso online de direção está perdendo dezenas ou até centenas de alunos presenciais. E o pior: está esperando alguém procurar (analogicamente) uma autoescola na região para ser encontrado.

Minha resposta foi simples:

O medo de ter uma ideia roubada não pode fazer parte da vida de quem trabalha online!

Antes de eu lançar o curso “como criar um curso online” eu não somente falei em todas as minhas redes sociais sobre o projeto, quanto comecei a publicar as ideias e o projeto em si…

Resultado: quando eu lancei o curso, as pessoas estavam esperando para se matricular!

Se fizeres uma pesquisa simples, mesmo dentro da Udemy vais ver que existem muitos outros cursos sobre o assunto… mas, nenhum deles é igual ao meu… simples assim!

Inclusive um colega (que aprecio muito!) lançou na mesma semana do meu lançamento, um curso com o mesmo tema. No dia de hoje, ele tem 92 alunos inscritos no curso dele e eu tenho 517 no meu curso.

Não é fácil começar e vencer os medos… mas, quem não mostra o que sabe, quem não mostra que pode realmente ajudar os outros com seu trabalho e competência, não tem mais vez no nosso mundo conectado!

Começa a reativar tuas redes, começa a falar do teu trabalho online também!

Mostra que vocês trabalham sério para que os alunos se tornem bons motoristas, para que sejam aprovados no teste, mostra trabalho! As pessoas não procuram mais simplesmente uma autoescola… elas procuram A autoescola, entende?

Bom, perde esse medo e vai!!

 

Imitação, cópia, plágio, paráfrase e até pirataria não são uma “novidade”, não são “coisas que vieram com a internet”.

Na resposta (e para dar um exemplo simples e papável para ele) eu usei o exemplo de um dos meus cursos. Mas, se você quiser realmente uma prova de que o medo de ter uma ideia roubada é infundado, pense simplesmente na Coca Cola! Quantas variações/imitações existem dessa bebida? Qual delas continua sendo a preferida das pessoas?

A passagem ao digital pode parecer complicada e dolorosa, mas não é! Ela pode ser até muito prazerosa: estar em contato com pessoas dos mais diferentes lugares, pessoas que não encontraríamos se não fosse a rede mundial de computadores é sensacional!

E, poder discutir os mais diferentes assuntos com cada uma delas, aprender, descobrir um pouco dos seus costumes, seus hábitos, suas leituras é simplesmente mágico! Então, coloque-se também no lugar de outras pessoas, aquelas que tem uma formação diferente da sua, hábitos, costumes e necessidades diferentes… também não vai ser bom para elas descobrir um pouco de você?

Nem todo mundo vai se interessar pelas suas postagens (assim como você não se interessa pelos posts de cada um dos seus contatos), outros vão esperar por seus próximos posts. E é assim que podemos, na era digital, reconhecer nossos pares.

Quando você os reconhecer, então, cuide bem deles! Nutra essa relação virtual da forma mais saudável possível, ou seja, compartilhando com ela o que você sabe! Seja nos seus artigos, nos seus vídeos, nos cursos que você oferece e até nos comentários que você deixa na rede.

Dessa forma você estará mostrando a sua cara e o seu trabalho: quem você é, o que você sabe, como você pensa, como você pode contribuir para o desenvolvimento dela e de outras pessoas! E isso, isso sim, vai contribuir para “alavancar” suas vendas.

Bom, este texto está ficando muito longo e vou abordar melhor a segunda questão em breve, ok? Mas, aqui também vale a dica: mostre o seu trabalho!

Se ninguém souber que você criou um curso online a partir do conteúdo ministrado no seu curso presencial que já é um sucesso, como elas vão poder se interessar pelo seu curso?

Tenho algumas ideias borbulhando na minha cabeça para o próximo texto mas vou parar por aqui!

E você? Como usa as redes sociais para mostrar seu trabalho? Fique à vontade para postar aqui nos comentários os links dos seus sites, blogs e até seus perfis nas diferentes redes sociais!

Compartilhe!